Dragão

dragaoO Dragão é um símbolo do próprio povo chinês. Reverenciado como uma criatura mítica divina, ele traz abundância, prosperidade e boa sorte. Essa imagem está tão arraigada na cultura do país que os chineses se referem a si mesmos como "Descendentes do Dragão". Ao contrário dos dragões ocidentais, os dragões chineses são reverenciados em templos especialmente construídos em sua honra. No primeiro e no 15º dias de cada mês, incensos são acesos e orações são feitas para os dragões - os controladores das águas dos rios, lagos, mares, da chuva e das quatro estações. Em última instância, eles representam as forças da natureza, o poder divino da Terra, e podem habitar os mares, cruzar os céus, transformar-se em montanha ao enrodilhar-se como uma cobra.

Como os dragões se casam com humanos, muitos imperadores da China e do Oriente afirmavam descender deles. De acordo com sua genealogia, o próprio Imperador do Japão é descendente da Princesa Jóia Frutífera, filha do Rei Dragão do Mar. Por isso mesmo, os súditos acreditavam que seus monarcas podiam transformar-se em dragões. Devido à sua sabedoria, dizem as lendas, muitos desses animais também teriam sido conselheiros nas cortes da China.

Na cultura chinesa antiga, os dragões possuíam um importante papel na previsão climática, pois eram considerados como os responsáveis pelas chuvas. Assim, era comum associar os dragões com a água e com a fertilidade nos campos, criando uma imagem bastante positiva para eles, mesmo que ainda fossem capazes de causar muita destruição quando enfurecidos, pois sentem-se ofendidos facilmente. Quando isto ocorre secas terríveis se alastram por todo o país. Durante as secas, as pessoas saem, então, em procissões especiais carregando enormes dragões de papel na tentativa de apaziguar essas entidades míticas.

Nos mitos do extremo oriente os dragões geralmente desempenham funções superiores a de meros animais mágicos, muitas vezes ocupando a posição de deidades. Na mitologia chinesa os dragões dividem-se em quatro tipos: celestiais, espíritos da terra, os guardiões de tesouros e os dragões imperiais. O dragão Yuan-shi tian-zong ocupa uma das mais altas posições na hierarquia divina do taoísmo. Ele teria surgido no princípio do universo e criado o céu e a terra. Nas lendas japonesas os dragões desempenham papel divino semelhante. O dragão Ryujin, por exemplo, era considerado o deus dos mares e controlava pessoalmente o movimento das marés através de jóias mágicas.

Muitos mestres entendem o dragão como a representação do caminho humano também e do praticante interior: “a serpente que possui o conhecimento terrestre ganha asas e voa ao ilimitado céu”.


voltar